Slide

PUBLICIDADE 728X90


Mulheres brasileiras batem recorde de medalhas e de ouros nas Olimpíadas de 2020 - Conquistas em disputas femininas superam marcas dos Jogos de Pequim em 2008

 A cinco dias do fim das Olimpíadas de 2020, as mulheres brasileiras já quebraram o recorde de medalhas conquistadas em uma edição dos Jogos. As atletas do país somam oito pódios em Tóquio – quase metade das conquistas do Brasil na edição atual.

O recorde foi alcançado com a medalha de ouro de Ana Marcela Cunha obtida na maratona aquática na noite desta terça-feira (no horário de Brasília). Até então, a melhor marca das atletas do país era de sete medalhas em Pequim-2008.

A brasileira subiu no pódio com a medalha de ouro no peito com o verde e amarelo da ponta do pé e literalmente até os fios do cabelo.

A baiana de 29 anos não deixou a disputa pelo pódio em nenhum momento. Começou num ritmo muito forte e passou em primeiro em algumas voltas. Quando foi superada pelas rivais, nunca saiu dos cinco primeiros lugares. Até que a prova chegou nos últimos minutos com a brasileira liderando para bater como campeã em 1min59s30. A prata ficou com a holandesa Sharon van Rouwendaal, campeã no Rio, e o bronze com a australiana Kareena Lee.
A baiana completou a prova com um colan preto minimalista com aviamento vermelho e sua touca em branco e a bandeira do Brasil.

O salto não é apenas em quantidade, mas também em qualidade. Já são três medalhas de ouro. Além da nadadora Ana Marcela, a ginasta Rebeca Andrade ficou no lugar mais alto do pódio no salto e as velejadoras Martine Grael e Kahena Kunze foram bicampeãs olímpicas na classe 49erFX.

No último dia de competição para Rebeca ela usou um colan rosa baby com stress em prata e preto, um charme.

 A dupla brasileira cruzou a linha de chegada vestindo um traje de banho com calça de neoprene, blusa branca com colete salva vidas azul.

No pódio a dupla feminina comemorou a medalha de ouro com os cabelos soltos e dourados.

As brasileiras também somam duas medalhas de prata, novamente com Rebeca no Individual geral da ginástica artística e com Rayssa Leal, a mais jovem medalhista brasileira da história – com apenas 13 anos --, no skate street.

A lista de Tóquio tem as medalhas de bronze da judoca Mayra Aguiar, da categoria até 78kg, que ficou em terceiro lugar pela terceira edição seguida dos Jogos, e das tenistas Laura Pigossi e Luisa Stefani nas duplas. 

As simpáticas tenistas que já fizeram história nessa Olimpíada também seguiram o padrão azul e branco.
Quem completa a relação de mulheres medalhistas em Tóquio é Beatriz Ferreira, na categoria peso leve (até 60kg) do boxe. Bia se classificou para as semifinais e já garantiu o bronze. Ela irá lutar para ir à final e disputar o ouro.

Beatriz leva o Brasil como pode e a bandana na sua cabeça destaca as cores da bandeira brasileira, no seu produtor bocal o verde e amarelo é presente. 


As oito medalhas do momento representam quase metade das conquistas da delegação brasileira nas Olimpíadas de Tóquio – o país já assegurou 18 medalhas nos Jogos. 

A quantidade de medalhas femininas ainda pode aumentar, com competições como a do vôlei, por exemplo. O desempenho das mulheres também pode ajudar o Brasil a superar seu recorde em uma edição das Olimpíadas -- faltam duas para superar as 19 medalhas conquistadas no Rio em 2016.

Na quadra o amarelo e verde no conjunto de uniforme blusa e shorts avançaram para semifinal das Olimpíadas.


O skatista catarinense conquistou a medalha de prata na modalidade skate park, disputada no Centro de Esportes Urbanos de Ariake, e consolidou o Brasil como uma potência sobre rodinhas. Pedro Barros levou o skate brasileiro de volta ao pódio também imitando o estilo da Ana Marcela com o verde e amarelo nas madeixas.


No recorde anterior, em Pequim-2008, Maurren Maggi, no salto em distância, obteve o primeiro ouro em modalidades individuais. A seleção feminina de vôlei também subiu no lugar mais alto do pódio na ocasião. Além disso, as mulheres levaram uma prata e quatro bronzes.

Em Londres-2012, as mulheres ficaram com dois ouros – Sarah Menezes no judô e novamente a seleção de vôlei -- e quatro bronzes, totalizando seis pódios. 

No Rio-2016, foram cinco medalhas, sendo duas de ouro – a primeira da dupla Martine e Kahena e a de Rafaela Silva no judô --, uma de prata e duas de bronze. 


Beijos no Coração 💖

Editora, Colunista e Jornalista de Moda Noeli de Carvalho e Silva 


Compartilhe o post com os amigos

Comente pelo Facebook!

Comente pelo Blog!

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *