Slide

PUBLICIDADE 728X90

 Quem diria que o nome de uma marca brasileira poderia causar uma polêmica tão grande fora do país, mas foi exatamente o que aconteceu com a Labellamafia.

imprensa italiana ao lado de grandes jornais, como o LaSicilia, fizeram matérias pedindo boicote à marca por conta do nome, que significa "a bela máfia". Eles pedem também que a marca não seja mais vendida no país, alegando que a palavra máfia tem conotação apenas negativa e não deve ser usada. No país, a máfia é algo a ser levado muito a sério, já que as brigas entre as famílias causaram muitas mortes e infligiram dores intermináveis que afetaram a Itália como um todo. 

1608071109654591 captura de tela 2020 12 15 a s 19.23.58
Manchete sobre a marca Labellamafia no jornal "Lasicilia"

E uma dessas matérias, o jornal Parma la Repubblica entrevistou Antonio Ferrante, presidente da gestão regional da Pd Sicilia, que disse o seguinte: "Não é mais aceitável descobrir a cada dia que em algum lugar do mundo uma palavra que evoca dor, morte e violência é banalizada ou mesmo usada como atrativo para vender… [isso] Requer ação imediata para que a linha seja retirado pelo menos em nosso país que pagou um preço muito alto na luta contra a máfia, que nunca será bela, mas sim horrenda e desumana."

 

O outro lado 

 

A marca, que investe em streetwear, afirma que a palavra "máfia" tem um sentido mais amplo do que na Itália, sendo usada no Brasil para denominar um grupo de pessoas unidas por um mesmo ideal. A nomenclatura foi escolhida cuidadosamente para evidenciar o trabalho realizado por todos os colaboradores da empresa, juntos em um ideal, daí a escolha do nome.

A marca também afirma que investe na comunidade, tendo permanecido no local de sua fundação, Florianópolis, onde gera mais de 170 empregos diretos. 

Nas primeiras semanas da pandemia do COVID-19, a Labellamafia se propôs a ajudar e foram realizados estudos e pesquisas para desenvolver maneiras de contribuir com os profissionais de saúde. Realizaram, então, a confecção de máscaras e roupas EPIS, que foram doadas para as secretarias de saúde dos municípios do Sul. Ao todo foram mais de 150 mil peças produzidas. 

Há mais de 15 anos no mercado, a empresa,  fundada em 2007 pelo jovem empreendedor Giuliano Puga e Alice Matos conta com mais 1.200 pontos de venda no Brasil e 250 no exterior, e presente em mais de 40 países como Argentina, Bolívia, Colômbia, Estados Unidos, Grécia, México, Panamá, Paraguai e Venezuela.

Calça branca minimalista com blusa com gola 

 midi nos tons branco, vermelho e listra azul. 1608071441133004 mafia

Foto: Divulgação

Conjunto esportivo preto e branco com tecido leve para isso exercícios!1608071444171560 lamafia
Foto: Divulgação

Para parte da coleção praia temos maiôs na dupla preto e branco e a modelagem bem diferente e com corte geometrico. 1608071451306869 bia e branca feres 1
Foto: Divulgação

Vestido preto justo minimalista com mangas longas e letreiro em branco.1608071455886010 cleo pires 1
Foto: Divulgação

Blusa preta com letra maiúscula rosa RAISE!
1608071459286635 cleo pires 2
Foto: Divulgação

Conjunto azul Marinho com roxo e rosa, modelagem que se ajusta ao corpo e uma estampa geométrica moderna.1608071463657408 collab a la garc onne e labellamafia 2
Foto: Divulgação

Dois modelos de biquíni: preto e branco com estampas geometricas em tom de vermelho.
1608071476297531 bia e branca feres 2
Foto: Divulgação 

A evolução do consumidor determina o sucesso das marcas, principalmente quando de fato a voz do povo predomina e influencia a venda do produto. O nome da marca ou coleção carrega todo o significado de um propósito e fica na mente dos consumidores, precisa ser pensada e repensada, interpretada e avaliada para que não gere problemas como o que ocorreu com está marca.
1. Duplo sentido, 2. Dificuldade de assimilação e 3. Associação negativa.  

Compartilhe o post com os amigos

Comente pelo Facebook!

Comente pelo Blog!

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *