Slide

PUBLICIDADE 728X90

Um reboot de Gossip Girl está a caminho e, nesta terça-feira, os fãs da série foram surpreendidos com algumas imagens de paparazzi das gravações, que estão acontecendo neste momento em Nova York, em alguns lugares icônicos de Gossip Girl, como a escadaria do MET.
A nova produção vai focar em um grupo de jovens que frequentam uma escola particular na cidade, assim como no original, que será composto pelos atores Emily Alyn Lind, Whitney Peak, Eli Brown, Zion Moreno, Johnathan Fernandez e Jason Gotay, além, é claro, da já divulgada participação de Tavi Gevinson, uma das pioneiras dos blogs de moda, no início dos anos 2000. Tavi também ficou famosa por ser a criadora de um dos mais importantes veículos focados em adolescentes, a Rookie Mag. 
A versão 2.0 de Gossip Girl será da HBO Max e voltou a ser gravada agora após ter sido adiada em maio por causa da pandemia. Uma das principais dúvidas de todos os fãs era se Kristen Bell iria retornar como a voz misteriosa que é marca registrada do programa, e a resposta é sim. Os criadores originais, Josh Schwartz e Stephanie Savage, também estão confirmados como produtores executivos ao lado de Leslie Morgenstein e Joshua Safran. Aliás, Josh revelou recentemente que entrou em contato com participantes da versão original e que há a possibilidade de algumas aparições pontuais das estrelas.
A nova produção vai focar em como as redes sociais mudaram a elite nova-iorquina e tinha estreia prevista para 2020, mas foi postergada para 2021. Pelo que pode ser visto nas imagens vazadas, e também pelo que já foi divulgado pela mídia internacional, desta vez, houve uma preocupação de trazer mais representatividade para o elenco, em comparação ao original, com personagens negros e LGBTQ+. 

O último episódio de Gossip Girl foi ao ar há cerca de oito anos, em dezembro de 2012, mas a série ganhou um novo fôlego — e novos fãs — mais recentemente ao ser incluída ao catálogo da Netflix. 
Apesar de seu roteiro ter sofrido diversas críticas posteriormente, principalmente pelas cenas de assédio, alienação social e também pela já citada falta de representatividade no elenco, a série parece ainda ocupar um espaço "afetivo" na memória de muitos jovens que foram impactados pela trama dramática, pelos looks grifados, a relação com a moda e o mundo de glamour e fantasias de uma vida inacessível na principal metrópole do mundo. Em 2007, quando a série estreou, o Instagram ainda não existia (ele foi criado em 2010), e as redes sociais estavam longe de ter a influência que possuem hoje no debate público. Resta saber se os criadores desta nova versão da série vão conseguir atualizá-la para condizer com debates dos tempos atuais.

Beijos no Coração 💖
 Editora, Colunista e Jornalista de Moda 
Noeli de Carvalho e Silva 


Compartilhe o post com os amigos

Comente pelo Facebook!

Comente pelo Blog!

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *