Slide

PUBLICIDADE 728X90

 Diversas marcas e lojas de moda dos Estados Unidos estão se mobilizando para incentivar que a população vote nas eleições deste ano, marcadas para o dia 3 de novembro e com a chegada de uma data tão marcante no calendário americano, as celebridades estão fazendo o possível para incentivar seus fãs a se registrarem para o voto. Por lá, vale destacar, o voto não é obrigatório. Neste ano, a expectativa é que ainda menos pessoas votem por causa da pandemia.

 Confira os jeitos mais criativos que grandes nomes da moda, cinema e música estão fazendo de tudo que está ao seu alcance para levar o máximo de eleitores possíveis às urnas e fazerem a diferença. 

As formas que as empresas do segmento fashion têm encontrado para incentivar o registro eleitoral tem sido as mais variadas. Vão desde campanhas, peças de roupa e acessórios com a palavra “Vote” – como fez Michael Kors – até parcerias com associações que ajudam as pessoas a se registrarem. Selecionamos uma lista com 10 ações que marcas e lojas de moda estão promovendo para estimular a participação dos norte-americanos.

1- Saks Fitfh Avenue 
Em uma ação que pode ser uma das mais icônicas, a Saks Fifth Avenue transformou suas vitrines – um símbolo para a cena fashion de Nova York – em um grande apelo com a palavra “Vote”. “Hoje, somos lembrados dos profundos sacrifícios feitos para nos dar o direito de votar e fazer nossas vozes serem ouvidas”, diz uma frase em uma das vitrines. Os displays ficarão assim até o dia 9 de outubro, quando encerram os prazos para registro no estado de Nova York.
Além disso, nas lojas da Saks, os clientes poderão se registrar para votar, conferir o status do registro, tirar dúvidas a respeito do processo e imprimir os pedidos de votos ausentes, também disponíveis no site da empresa. Especialistas da HeadCount ajudarão os consumidores nessa missão.
 A Saks é uma icônica rede de lojas de departamento de luxo. Nesta foto, por exemplo, a modelo veste Valentino.

2- Bode 
A marca de roupas masculina Bode se uniu à associação When We All Vote e acrescentou uma barra para o registro do voto no guia de navegação do site. Além disso, treinou os funcionários de sua flagship, em Manhattan.  A ideia é que eles possam dar instruções sobre como os eleitores podem se registrar para votar pelo site da organização, conforme explicou a estilista Emily Adams Bode ao site Fashionista.
 Os funcionários da loja da marca norte-americana Bode foram treinados para ensinarem os leitores a se registrarem para votar no hotsite da grife com a organização When We All Vote.

 Tory Burch No início de setembro, a designer Tory Burch anunciou que dará um dia de folga remunerada para os funcionários que se candidatarem como funcionários eleitorais. A grife quer evitar que ocorra uma escassez desses funcionários no dia da eleição, em novembro. “Voluntários essenciais que trabalham nas seções eleitorais no dia da eleição, emitindo cédulas para eleitores registrados, monitorando o equipamento de votação, explicando como votar ou contando os votos”, publicou a marca no Instagram.
A empresa divulgou, ainda, um link com informações para quem quiser se voluntariar para trabalhar nas eleições. “A democracia requer participação e queremos ter certeza de que cada um de nós pode desempenhar seu papel”, incentivou a grife Tory Burch.

3- Banana Republic 
A Banana Republic se uniu à organização Rock The Vote com o objetivo de oferecer ferramentas educacionais para que os clientes estejam preparados para as eleições. De quebra, criou uma máscara com a frase “Vote for a Better Republic”, que significa “Vote por uma república melhor”.
4- Gap
A Gap fez duas doações, de US$ 25 mil cada uma, para as iniciativas When We All Vote e Rock the Vote. Também lançou camisetas e máscaras com as palavras Stand United e Vote, como parte de uma coleção de edição limitada, em parceria com a artista Stephenie Factor. Ela faz parte do African American Networking Group da Gap Inc., empresa que detém a varejista de moda. Com as ações, a marca espera ajudar a acabar com a diferença de raça e idade nas urnas.
 Cantora JoJo com camiseta “Vote”, da Gap.
A marca também tem esta máscara e fez duas doações, de US$ 25 mil cada, para as instituições When We All Vote e Rock The Vote.

5- Levi’s 
A Levi’s criou camisetas e moletons para incentivar o voto, mas foi muito além disso. A marca está bem engajada nesse sentido: criou um hotsite, em parceria com a Rock The Vote, com informações sobre tudo que é necessário para votar e como a pandemia de Covid-19 afeta as eleições deste ano em cada estado. Pelo mesmo link, é possível se cadastrar para votar, verificar o status do registro e enviar um lembrete para outras pessoas, para “triplicar” seu próprio voto.
 Hailey Bieber foi atrás da Levi’s e criou um vídeo que atingiu 70 milhões de jovens aptos para votar, a fim de conscientizá-los sobre a importância do voto. Além da modelo, o projeto foi realizado em parceria com a cineasta Oge Egbuonu e teve a presença de mais de 10 personalidades.
 A marca criou produtos com a palavra “Vote”.
6- Prabal Gurung 
Prabal Gurung, que é nepalês-americano, ganhou o direito de votar em 2016. Desde então, diz que nunca deixou de votar em nenhuma das eleições. O estilista lançou uma camiseta com a palavra “Vote”, com 15% da receita destinada à organização When We All Vote.
 Esta camiseta lançada por ele tem 15% da receita revertida para a organização When We All Vote.
7- Patagonia 
Conhecida pelo ativismo social e por vender agasalhos, a Patagonia deixou uma mensagem bem explícita nas etiquetas de sua linha de bermudas agênero Regenerative Organic Stand-Up. O detalhe, que viralizou no Twitter, diz: “Vote the assholes out”, ou “Vote os babacas para fora”, em tradução livre.
 Esses shorts são fabricados desde 1973, informou a empresa à CNN Business. “Temos enfrentado os negacionistas do clima há quase tanto tempo quanto fazemos aqueles shorts”, afirmou o porta-voz Corley Kenna. Segundo ele, a frase se refere a esses políticos
Etiqueta de bermuda da Patagonia com a frase “Vote os babacas para fora”.
 8- American Eagle
 A varejista de roupas e lifestyle American Eagle lançou uma camiseta customizável com a frase “This is our time to”, ou “Esta é a nossa vez de…”. O dinheiro das vendas é todo destinado para a instituição HeadCount, que conscientiza jovens sobre o poder do voto por meio da música.
 Camiseta customizável da American Eagle com a frase “Esta é a nossa vez de”.
 Camiseta customizada: “Esta é a nossa vez de nos registrar para votar”
 9- Coach 
A Coach defende que as pessoas tenham informações e acesso ao que é necessário para votar. Por isso, criou a campanha #CoachTheVote, em parceria com a organização More Than a Vote, que tem objetivo de incentivar, educar e proteger o voto de negros e latinos nos Estados Unidos. Para trazer ainda mais força na conscientização pelo voto, convidou Michael B. Jordan, Jennifer Lopez e Megan Thee Stallion para fazerem vídeos de incentivo.

 Christian Siriano 
  Christian Siriano encerrou a Semana de Moda de Nova York no quintal da sua casa há um mês com um apelo: vote. Com uma modelo toda vestida de preto com letras garrafais, que traziam essa palavra em inglês, o estilista convocou os norte-americanos a se registrarem para as eleições presidenciais, que trava a batalha entre os candidatos Donald Trump e Joe Biden.

 Há menos de um mês para as eleições, a moda vem se reafirmando como uma das principais ferramentas para o incentivo político-social nos EUA — e não só nas passarelas. A "V Magazine", uma das principais publicações de moda do país, trouxe nas capas de suas mais recente publicação diversos artistas da indústria pop, de Bella Hadid à Jennifer Lawrence, incentivando a população mais jovem a ir às urnas.
 A cantora Taylor Swift, dona do álbum "folklore" mostrou o colar de pingente com a palavra "voter":

  Nas palavras do professor e historiador de moda João Braga a Nossa, não é nenhuma novidade que a moda exerça esse papel ainda hoje em dia. "A moda pode ser usada para qualquer convencimento de comunicação e linguagem", explica. "Como a moda tem um compromisso de retratar o tempo em que a abriga, agora, ela está voltada para as questões de ordens políticas, o que é facilitado pelas mais amplas possibilidades de expressão, como com as redes sociais".

 "Moda é uma forma de comunicação não verbal. A roupa não fala, mas transmite inúmeras informações, principalmente de cunho político". 

Compartilhe o post com os amigos

Comente pelo Facebook!

Comente pelo Blog!

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *