Slide

PUBLICIDADE 728X90

Glossário sustentável: um guia para entrar na conversa ambientalista 
Junto com o Dia Mundial do Meio Ambiente, celebrado dia 5 de junho, vêm as diversas rodas de conversa acerca da sustentabilidade e, verdade seja dita, o tema é cheio de termos (dos mais simples aos complexos) que você pode nunca ter ouvido antes e não fazer ideia do que se trata.
Sem problemas! Afinal, foi pensando no fato de que ninguém nasce sabendo que selecionamos os tópicos mais frequentes nos papos sobre meio ambiente e, com base no Glossário da Moda Sustentável da Condé Nast Internacional, explicamos seus significados abaixo.
SUSTENTABILIDADE
Engana-se quem pensa que o termo se refere apenas a cuidar do meio ambiente! Sustentabilidade é o modo de vida em que os sistemas humano e natural coexistem de maneira equilibrada e prosperam sem que nenhuma parte envolvida seja destruída. É por esse motivo que agora reconhecemos quatro elementos de sustentabilidade: cultural, social, ambiental e econômico. 


MUDANÇA CLIMÁTICA
A Convenção-Quadro das Nações Unidas sobre Mudança do Clima (UNFCCC) define mudança climática como "uma mudança climática atribuída direta ou indiretamente à atividade humana que altera a composição da atmosfera global e que é adicional à variabilidade climática natural observada em períodos comparáveis". Devido à gravidade da situação, hoje em dia os termos crise climática e emergência climática são mais apropriados.
PEGADA ECOLÓGICA
São os recursos ambientais que uma população/economia consome. Ex: uso de terras agrícolas e de pastagem, pesca, terra construída, áreas florestais e demandas de carbono. Desde 2006, a organização Global Footprint Network, parceira da ONG ambiental WWF, mede o dia em que a demanda por recursos ambientais esgota os recursos que podem ser regenerados naquele ano, é o "Dia da Sobrecarga da Terra". Em 2019, foi em 29 de Julho. 
PEGADA DE CARBONO
A pegada de carbono é um dos elementos da pegada ecológica. Mede o volume de emissões de gases de efeito estufa (principalmente o dióxido de carbono - CO2) produzidos direta e indiretamente por um indivíduo, empresa ou população na atmosfera.
EMISSÃO DE CARBONO
A emissão de carbono acontece quando há queima de combustíveis fósseis, incineração de materiais sintéticos descartados, manejo de terra e outros processos na produção de industrial. Qual o problema do carbono, afinal? O CO2 (dióxido de carbono) é o principal gás de efeito estufa e, quando liberado na atmosfera, contribui significativamente para a crise climática.
CARBONO NEUTRO
Neutralização de carbono é quando a emissão de CO2 é equilibrada com ações compensatórias. Ex: plantio de árvores, transição para um uso de energia de fontes renováveis.
IPCC
O Painel Intergovernamental de Mudanças Climáticas (IPCC) é o órgão das ONU que avalia a ciência relacionada às mudanças climáticas. Seu objetivo é informar a tomada de decisões sobre o enfrentamento de possíveis riscos futuros e negociar estratégias internacionais para reverter o quadro da crise climática.
POLUIÇÃO DE MICROFIBRA
As microfibras são fibras com menos de 5 mm de tamanho, que são eliminadas de tecidos e roupas durante todas as etapas do seu ciclo de vida, da produção até o uso e o descarte. O grande problema são as microfibras de materiais sintéticos, aka: microplásticos. Eles são, hoje, a principal fonte de poluição dos oceanos e reponsáveis por grandes danos à fauna marinha e saúde humana, que consome animais infectados.
MATERIAL SINTÉTICO
Os materiais sintéticos são aqueles fabricados a partir de polímeros naturais (viscose, liocélula, acetato) ou polímeros sintéticos (poliéster, nylon, acrílico) nos quais os processos de fabricação muitas vezes dependem do uso pesado de produtos químicos, alto consumo de energia e esgotamento de recursos não renováveis. 
MATERIAL NATURAL
Os materiais naturais se enquadram em duas grandes categorias: à base de plantas (algodão, cânhamo, linho...) ou animais (lã, seda, couro, plumas...). Podem ser rotuladas como uma boa alternativa aos sintéticos, mas é preciso olhar para a sua cadeia de produção, que muitas vezes pode incluir uso de pesticidas, desperdício de água, desmatamento e maus tratos animais.
MATERIAL SUSTENTÁVEL
São apenas os materiais que podem ser adquiridos sem esgotar os recursos não renováveis e que são produzidos, usados e descartados nas quantidades necessárias, sem causar danos às pessoas e ao meio ambiente. É preciso olhar para toda a cadeia, por isso é um termo complexo e depende do contexto.
 GREENWASHING
Greenwashing é uma estratégia de marketing corporativa que tira proveito do crescente interesse público em questões ambientais para fazer alegações falsas ou enganosas sobre as práticas e produtos ambientais de uma empresa. Ex: fazer propaganda de uma "coleção sustentável" alegando uso de tecidos orgânicos/reciclados, quando apenas uma pequena porcentagem da produção, de fato, é feita dessa maneira.
RASTREABILIDADE
A rastreabilidade refere-se à possibilidade de rastrear a jornada e as origens dos produtos, da matéria-prima ao produto final. A rastreabilidade está intimamente ligada ao requisito de transparência, para melhorar a confiança na indústria da moda e em suas práticas sociais e ambientais. 
UPCYCLING
Upcycling é uma forma de reciclagem na qual materiais ou produtos descartados são convertidos em itens de maior valor que a entrada original. Por exemplo: usar sobras de tecidos em bom estado para fazer bolsas e acessórios ou reaproveitar produções de coleções passadas para criar uma nova. Esta ação reduz a quantidade de resíduos gerados pela indústria da moda.

5 marcas de beleza eco-friendly para conhecer
O que você prioriza em uma marca de beleza no momento da compra de um novo produto? Se a sua resposta for algo entre ingredientes do bem, embalagens ecologicamente corretas e fórmulas limpas, você está no lugar certo. No Dia Mundial do Meio Ambiente, celebrado nessa sexta-feira, 5, te entregamos uma lista de marcas que possuem a sustentabilidade em seu DNA e que merecem a sua atenção. Confira:
1- Weleda
Fundada há quase cem anos, a Weleda é nome conhecido entre os adeptos de produtos de beleza botânicos. “É da natureza que vêm todos os insumos para os nossos produtos, por isso a preservação dela é um compromisso inerente à marca desde sua origem”, diz Maria Claudia Pontes, CEO América Latina da marca. Além das fórmulas orgânicas, livres de ingredientes tóxicos e microplásticos e que não são testados animais, a Weleda utiliza material 100% reciclável em suas embalagens e planeja atingir 65% de material reciclado até 2022. “Tudo o que consumimos afeta não só nós mesmos, mas tudo ao nosso redor. Optar por um produto natural, de cultivo sustentável e certificado é uma garantia de não estar contribuindo com a degradação do planeta”, explica Maria Claudia. O hidratante regenerador Skin Food é o best-seller da marca no mundo e queridinho entre as beauty junkies.
2-Simple Organic
“A Simple Organic foi criada em um tripé: respeito à saúde das pessoas, a saúde do planeta e respeito à vida dos animais”, conta a fundadora Patrícia Lima. Com um extenso catálogo de produtos entre maquiagens, cuidados para o corpo e skincare, a marca brasileira vem se firmando no mercado como referência em tecnologia quando o assunto é beleza do bem. “Ter um produto orgânico faz com que a Simple Organic esteja à frente de toda a indústria da beleza que trabalha com o mercado sintético. A agricultura orgânica se preocupa com toda a cadeia: com o solo, o plantio, respeita o ciclo dessa planta”, conta. Quando o assunto é embalagem, a marca conta com logística reversa de todos os produtos nas lojas e é a primeira no Brasil a ter o certificado internacional Lixo Zero.
3-LACES
Basta pisar em um dos salões da rede paulistana Laces and Hair para sentir a ligação do lugar com o meio ambiente. Isso porque, além das paredes tomadas por vegetações, o espaço foi construído para produzir os menores danos ambientais possíveis. “Além de fazermos toda a compensação de carbono das atividades das lojas e e-commerce do Slow Beauty, criamos um sistema de captação de água da chuva e tratamento de água por osmose reversa para alimentar todo o salão”, conta Itamar Cechetto, CEO do grupo. As fórmulas dos produtos usados no salão e vendidos para cuidados em casa são feitas a partir de ingredientes naturais e livres de toxinas. “Nossas embalagens são produzidas com plásticos já reciclados e são recicláveis, ou seja, elas vão com uma resina chamada go green, que reduz para 5 anos o tempo de decomposição do plástico, que normalmente demora cerca de 200 anos”, acrescenta.
Durante a pandemia, para minimizar os impactos e ajudar a fomentar a renda de pequenos produtores locais, o Grupo Laces transformou dois de seus salões em mercados orgânicos oferecendo mais de mil produtos entre hortifrúti, mercearia, adega, padaria e limpeza, por exemplo.

4-Baims Natural Makeup
Com sede no Brasil e na Alemanha, a Baims é uma marca de beleza que tem como propósito oferecer maquiagens de alta performance à base de ingredientes orgânicos. “Nossos ingredientes são certificados pela inglesa “The Vegan Society” que dá a garantia das fórmulas serem veganas e cruelty free, e pela francesa Ecocert, que garante que o processo de extração dos nossos produtos é de origem 100% natural e ecológica”, conta Fabiana Kherlakian, diretora de marketing da marca. As embalagens da Baims ainda são feitas de bambu e todos os produtos em pó podem ser comprados em versão refil – alternativa para menos lixo e menor custo para o consumidor. “Para os produtos que ainda não temos refil, contamos com o selo Eureciclo que faz a compensação ambiental das embalagens que colocamos no mercado e certifica que a nossa empresa cumpra com a Política Nacional de Resíduos Sólidos”, acrescenta.
5-Be Plus Natural Care
“Diariamente usamos no mínimo 100 substâncias químicas prejudiciais à saúde, através de produtos de higiene pessoal como shampoo, condicionador, hidratantes, sabonetes, desodorante, maquiagens, além de diversos produtos de limpeza em nossas casas. E, para nós, cuidar do meio ambiente é também cuidar do nosso corpo”, diz Beatriz Tardin, fundadora da Be Plus. O compromisso de sustentabilidade da marca começa desde a escolha minuciosa dos ingredientes, através de componentes que são encontrados diretamente na própria natureza, nos produtos resultantes de síntese primária ou que sejam biodegradáveis. “Para cada novo produto desenvolvido desprezamos conceitos como low-cost; e valorizamos sim o low-toxic, o natural, o vegan, o cruelty-free, o hipoalergênico, e o eco-friendly", acrescenta. A marca é especializada em produtos de skincare como óleos corporais e hidratantes poderosos, maquiagens e cuidados capilares.






Compartilhe o post com os amigos

Comente pelo Facebook!

Comente pelo Blog!

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *